Google News - Top Stories

quinta-feira, 14 de abril de 2016

Tesla Model 3: Quem está comprando o novo carro de Elon Musk?

A demanda para o novo veículo "acessível" está impressionando de tão elevada, contudo, ainda assim, alguns não acreditam que já chegou a hora dos Veículos Elétricos "emplacarem".


O Tesla Model 3 está definido para ser o carro mais acessível da Tesla Motors
Ainda que (enquanto eu começo a escrever esse artigo) o impressionante número de mais 325.000 pretensos proprietários já tenham realizado os devidos depósitos de US $1.000 (ou de valores correntes equivalentes), com 270.000 deles o fazendo em um período de apenas 3 dias, a fim de garantirem suas futuras aquisições de uma unidade dele, o "acessível" Tesla Model 3 não estará presente nas estradas e avenidas antes do final de 2017.

Para os que desconhecem a história da Tesla Motors, que começou em 2008 com o lançamento de seu primeiro veículo elétrico, o Tesla Roadster (atualmente já fora de linha), e prosseguindo, até aqui, totalmente voltada para a fabricação de carros desportivos e de luxo, é importante ressaltar que, mudando o público alvo, o novo carro Tesla Model 3 está definido para ser o carro de custo mais acessível da Tesla Motors.

Já, quanto ao lançamento do Model 3, podemos observar que o mês de Março/2016 revelou aquilo que foi apenas a "Parte 1" de uma introdução passo a passo do novo carro, com a ocasião para a realização da "Parte 2" ainda a ser definida pela Tesla. Não obstante a isso, na data de 15/04/2016 (enquanto eu faço a última revisão dessa postagem), a campanha de pré-venda do Model 3 bate a impressionante marca de 400.000 unidades encomendas.

Contudo, detalhes importantes foram revelados, como, por exemplo, a de como o carro se parecerá, e também a sua (muito boa) autonomia, que será de 215 milhas (ou 346 km), informações que foram suficientes para conduzir a enormes números de pré-encomendas (grandes o suficiente para a Tesla proclamar este como sendo o seu lançamento de produto mais bem sucedido desde sempre).

Assim, muitos já passam a referenciar o Model 3 (que está cotado para ser vendido a US $ 35.000) como o carro que vai, finalmente, trazer automobilismo elétrico para uma competição de mercado muito mais agressiva com relação aos veículos com motores a combustão interna (mas nem todos ainda estão convencidos disso).

De acordo, por exemplo, com um artigo do Economic Times, enquanto a demanda para o Modelo 3 já é alta, ao que parece a clientela continua sendo constituída, predominantemente, pelos chamados "early adopters" (uma pessoa que começa a usar um produto ou tecnologia, assim que ela se torna disponível), ou os "tech-savvy" (tecnologicamente esclarecidos e ambientalmente conscientes), que vêem a Tesla como uma marca inovadora que atende às suas necessidades e expectativas tecnológicas e ambientais.

Eu, particularmente, fico aqui matutando se isso tudo (críticas que eu ouço sendo repetidas desde 2011), não é, tão somente, uma forma enciumada e pejorativa de tratar o caso (lembrando que o mesmo ocorreu, a seu turno, com o I-Phone da Apple).

As especificações do carro são importantes para atrair os compradores, mas a "imagem tech" da marca (Tesla) é um fator de atração enorme para os clientes, acrescenta o referido artigo, apontando os sucessos de seu presidente-executivo Elon Musk nos casos dos foguetes, com a sua outra empresa, a SpaceX (ver, também, artigo da TecMundo sobre isso) e outros interesses da era das internet, tais como o PayPal, a jogar contra a imagem de outras montadoras tradicionais de veículos.

O artigo diz, ainda, que mudança de clientela das vendas a partir dos clientes "tecnologicamente esclarecidos", para a multidão de "pessoas normais" deverá demandar, ainda, um grande esforço, e que conquistar entusiastas já rendidos à tecnologia é fundamentalmente diferente, do que ter que convencer os consumidores mais tradicionais.

Já, num outro artigo, da Sci-Tech Today titulado "Apesar da campanha publicitária para o Tesla Model 3, as vendas de Veículos Elétricos estão longe de serem robustas", ela diz que as vendas de carros elétricos (especialmente da nativa americana Tesla), continuam a ser uma "gota no oceano" e poderão continuar a ser por algum tempo, dependendo da rapidez com que a tecnologia de baterias progride.

Por sua vez a Auto World News chama para a Tesla a responsabilidade por algum eventual maior fracasso no futuro dos Veículos Elétricos, afirmando que "a Tesla precisa atingir um momento pleno" com o Model 3, e quaisquer problemas com o lançamento, tais como os atrasos que têm assolado outras ofertas da empresa, poderia "erradicar a previsão positiva e futuro sólido" do novo carro e sua grande base de fãs, dificultando qualquer esperança de um cruzamento (dos veículos elétricos, de maneira geral) em direção a competição mais agressiva com o mercado dos tradicionais.




Tesla revela Modelo 3


O fato é que não obstante as críticas, o presidente-executivo Elon Musk apresentou o novo carro elétrico em um evento em Los Angeles em 31 de março e desde então tem repetidamente levado para o Twitter para compartilhar atualizações sobre como ele foi recebido. Sua última mensagem ele afirmou que todas as pré-encomendas deverão se traduzem em vendas, e que a Tesla vai investir o valor de US $ 14 bilhões no Model 3 ao longo dos próximos anos.


A Tesla orgulhosamente tem alardeado que o lançamento do Model 3 é o pontapé inicial que eleva os veículos elétricos ao patamar de carros elétricos como uma opção corrente principal do mercado, e que, em apenas uma semana "se tornou o único grande lançamento dentre quaisquer outros produtos, desde sempre".

Entretanto, a Forbes está cética, notando que a empresa tem uma estrada rochosa à frente dela para entregar, com sucesso, na histeria em massa em torno do carro. Caso a empresa venha a apresentar problemas de produção, diz ela, os seus novos clientes podem ser menos tolerantes com os eventuais atrasos, do que foram os clientes da sua base de consumidores mais ricos, atuais usuários dos carros Model S e Model X.


No entanto, Forbes diz Tesla pode se orgulhar da propagação orgânica de interesse no veículo, dizendo que a popularidade do carro foi conduzida por "um verdadeiro esforço de base", sem ter anúncios ou endossos marcando o seu lançamento.


De acordo com Carscoops, o Model 3 "quebrou a internet, mesmo sem ser um item acabado" e considerando que a maioria dos compradores potenciais não receberá seus carros por (quase) dois anos, mesmo esse termo é um eufemismo. O site também tem revelou um dos primeiros vídeos do carro em ação - um Model 3 de cor prata nas ruas durante as filmagens, o que é provável que seja o material promocional Tesla. 




Tesla Model 3 Spotted Real Live Footage HD 720p 2016


É ainda desconhecido quando "parte 2" da revelação do Tesla Model 3 terá lugar, mas a Revista The Week avalia que seja muito provável que algumas revisões de design poderão ainda acontecer, entre agora e depois, especialmente dentro da cabine.

ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO DE NÚMEROS:
Tesla Model 3 já alcança 373.000 reservas feitas até 15 de maio de 2016 (após verificados 8.000 cancelamentos e eliminados 4.000 pedidos duplicados)


O Chefe da Nissan Saúda a Tesla e o seu Model 3




O presidente-executivo da Tesla, Elon Musk tem rotineiramente convidado (ou melhor, desafiado) outros fabricantes para construir um carro elétrico melhor em uma tentativa de impulsionar a competitividade do setor. Agora, um de seus maiores rivais retornou o favor.

"A Nissan está torcendo pela Tesla", disse à Business Insider,  o chefe da Renault-Nissan Carlos Ghosn, depois de saudar a "boa competição" que o Modelo 3 da Tesla irá proporcionar.


Globalmente, "a Nissan lidera afastada na competição de vendas em veículos elétricos", acrescenta o site. Sua aliança com a Renault produziu 302.000 unidades de veículos elétricos que se encontram em locomoção, no mundo todo, apenas durante o ano de 2015, sendo 43.700 deles do modelo Nissan LEAF que, desde o seu lançamento em 2010, já vendeu um total de 211.000 unidades.


Reparem que todos os números mostrados no parágrafo acima são bem menores do que o número de entregas que a Tesla já está compromissada em realizar do novo Model 3 (e só a partir do fim do ano que vem), porem a Tesla vendeu pouco mais de 100.000 veículos, todos "de luxo", na vida toda da empresa.





Por seu turno, o Vice-presidente da Tesla Diarmuid O'Connell, citando o presidente-executivo Elon Musk, acrescentou que Tesla tem um plano para o aumento da produção, e que transformou (anteriormente) os últimos surtos de demanda em um positivo 
de entrega , dizendo que a experiência de construir os Model S e Model X torna a produção Model 3 mais fácil.


Ghosn está posicionando os VEs como um dos pilares de uma futura estratégia corporativa da Renault-Nissan e vê, unicamente, como boa notícia a hiper enorme demanda para o próximo veículo de produção da Tesla. "Lançamentos como este só vão dinamizar o desenvolvimento dos carros elétricos e de infra-estrutura para VEs", diz ele. "Finalmente, uma boa competição para VEs está pegando".

A Nissan pode ter algum trabalho a fazer, no entanto, diz a Electrek: No Reino Unido, o LEAF começa com um preço a partir de cerca de £ 25.000 (antes de incentivos do governo), ou seja, apenas £ 5,000 mais barato do preço do Modelo 3, quando esse vai à plena venda no fim próximo ano, mas permanece, atualmente, em área-chave.


Apesar de uma recente atualização ampliando sua autonomia para 155 milhas (250 km), o Nissan LEAF encontra-se muito atrás da faixa de autonomia de 215 milhas especificada para o Tesla Model 3. Como tal, o site sugere que um novo Nissan LEAF deva vir para 2017, possivelmente equipado com uma bateria melhor, que garanta uma autonomia de (quem sabe) umas 200 milhas (eu, particularmente, também creio nisso, porém, para acontecer só em 2018).

Apesar do lançamento do Model 3 estar recebendo louvor até mesmo de rivais chave (como a Nissan e a Mercedes-Benz), ao menos um concorrente está se sentindo prejudicado: a General Motors chama a atenção sobre a sua própria oferta, o Chevrolet Bolt EV, que deve chegar às estradas ainda este ano, e que seria o primeiro VE de longo alcance acessível ao mercado e que "não é necessário depositar os $ 1.000 e esperar pelo final de 2018, ou até algum tempo depois disso", fazendo uma referência ao tempo de espera do Model 3.

Chev Bolt ano modelo 2017 na linha de montagem da fábrica da GM de Orion Township em Março de 2016

Uma verdade que poucos gostam de falar as respeito é que, justamente os chamados "early adopters" e "tech-savvy" são um público que tem um elevado grau de desconfiança (e, portanto de rejeição) contra a GM naquilo que concerne ao que eles supõem ser as reais intenções dela dentro do mercado dos VEs (lembrando que a mesma empresa já traiu, grandemente, este mercado, ao menos uma vez, no passado. Veja Quem Matou o Carro Elétrico?)


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Licença Creative Commons
Este trabalho de André Luis Lenz, foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - CompartilhaIgual 3.0 Não Adaptada.